DSC_0010-1_1-657x360

PAREM DE SENTIR PENA DE MÃES QUE FIZERAM CESÁREA, ELAS SÃO MAIS FELIZES DO QUE VOCÊ PENSA

by • março 27, 2015 • Bebê, Coluna, GravidezComments (1)79833

UntitledQuando um grupo de mães está reunido, a troca de histórias sobre seus partos é quase que inevitável. Esse grupo de mães pode não estar reunido fisicamente, mas através do facebook, instagram, grupos de discussão na internet, etc. E gente, sério, precisamos parar de sentir pena das mães que foram submetidas a uma cesárea.

No sexto, sétimo mês de gravidez, descobrimos que o Davi era um bebê pélvico (não virou de cabeça pra baixo para o parto). Por recomendação médica, que incluíam N motivos que não tratarei aqui, optamos pela cesárea. Até brincamos na época que na dúvida pela cesárea ou parto normal, o Davi mesmo escolheu por nós, e continou sentado. Postamos um artigo mais ou menos assim:

Meu Bebê é Pélvico – e agora?

Como já mencionamos algumas vezes no Instagram, nosso pequeno bebê banana é pélvico. Quero dizer, não virou há tempo para o parto, agora está grande demais pra ficar de cabeça pra baixo. Certeza que puxou para o @papaibanana e deixou tudo pra última hora (rs). Mas o fato é que, agora a cesárea é quase inevitável na opinião do meu médico (a qual seguirei por diversos fatores). E com isto, veio um turbilhão de dúvidas, questões, polêmicas, “e se não existisse cesárea? e se isso? e se aquilo?”.

Entendo que a cesárea é a melhor opção neste momento tanto para mim, quanto para o bebê. Além de vários laços de cordão umbilical pelo pescoço, outros fatores influenciam nesta minha tomada de decisão, que aconteceu em conjunto com meu G.O e meu marido.

Lembro que na época recebemos alguns educados comentários:

“Se bebê pélvico não pode nascer avise isso para o meu bebê e para os bebês de diversas amigas que nasceram pélvicos.  O médico que diz que um bebê pélvico não pode nascer de parto é um completo ignorante. Ponto!”

“Cesárea é inevitável? Com médicos incompetentes com certeza é.”

Começamos a perceber naquele momento como o assunto cesárea era tratado no meio materno.

De qualquer maneira, voltando aos dias atuais, esses dias estava lendo a seguinte história na internet:

Aí chegou a minha vez – Eu não tinha me oferecido, mas pelo olhar de todas as outras mães da roda, a expectativa era que agora eu contasse como foi a história do meu parto. Eu disse – de maneira cabisbaixa, por razões emocionais – “Ah, minha filha era pélvica e eu fiz uma cesárea”.

“Poxa, sinto muito em ouvir isso” disse uma outra mãe, claramente triste por mim.

Eu concordo com a cabeça “É uma pena que não funcionou da maneira que eu queria, mas deu tudo certo no final, eu acho”.

Eu estava mentindo.

Eu queria ter dito: “Na verdade, foi fantástico! Dormi gostoso na noite anterior, quando cheguei no hospital fiz até checkin no foursquare. Em 15 minutos minha pequena nasceu saudável, e em alguns dias eu estava pronta pra outra!”.

Gente, por mais que seria incrível ter visto a Vanessa passar por um parto normal, não podemos dizer que nossa cesárea foi uma experiência ruim. Por mais que estejamos falando de uma cirurgia, foi bastante agradável, sério. O hospital era mais confortável do que muitos hotéis por aí. Tinhamos boas refeiçoes, eu tinha uma cama de acompanhante bem atraente para dormir, tinha WIFI pra compartilhar com vocês como estava sendo aquele momento, enfim, que experiência maravilhosa!

No entanto, muitas pessoas ainda tem essa negatividade com relação a cesáreas. Somos totalmente a favor do parto normal, é como deveria ser. Mas se não deu certo, não precisamos sentir pena, arrependimento, viver pra sempre tristes e inconformados. Uma cesárea não é algo do diabo, é só uma outra maneira do bebê nascer – e graças a Deus por isso: anos atrás, uma grande quantidade de bebês pélvicos morriam asfixiados durante o nascimento. Sim sei que bebê pélvico pode nascer de parto normal. Sim, sei que não é impossível. Sim, sei que é seguro – mas não estamos analisando caso a caso aqui, nem todas os outros milhares de fatores envolvidos.

De qualquer maneira, o recado que quero dar é, eu e minha esposa fizemos uma cesárea e somos felizes. Meu saudável e sorridente filho Davi é prova disso.

:)

Pin It

Related Posts

One Response to PAREM DE SENTIR PENA DE MÃES QUE FIZERAM CESÁREA, ELAS SÃO MAIS FELIZES DO QUE VOCÊ PENSA

  1. Isabel Cerqueira disse:

    Olá Gabriel, boa tarde.

    Tenho 31 anos e sou mãe de um casal de gêmeos de 6 meses, acabo de conhecer sua página e ler esta matéria sobre parar de ter pena de mães que fizeram cesarea, e parei para dizer MUITO OBRIGADA DO FUNDO DO MEU CORAÇÃO!!!!!
    Minha gestação foi maravilhosa, não tive problema algum, meus bebes estavam cefálicos, minha bolsa estourou às 8h30 da manhã de 08/10/2014, uma linda, quente e feliz manhã de primavera, tive dores e contrações e conforme EU já havia conversado com meu obstetra EU QUIS cesárea, eu sim, eu nunca pensei em ter um PN, nunca tive vontade, só queria me sentir segura em relação a chegada dos meus bebes, e uma cirurgia PRA MIM sempre foi a forma mais segura, nunca tive nenhum problema, não deixei de fazer nada por eles, amamentei, e tive uma recuperação fantástica. em compensação já ouvi:

    – Você não é mãe, mãe de verdade tem que parir
    – Seus filhos terão problemas psicológicos pq foram agredidos no momento mais crucial,
    – Você nunca mais vai poder ter PN

    Enfim, um verdadeiro bulliyng!!!! Desculpe o desabafo, mas esse realmente é um assunto que me agride, Por que as pessoas não podem aceitar que outras apenas pensam diferente?
    Não amo menos meus bebes, eles são a maior realização da minha existência, não durmo, não como, não arrumo cabelo, conforme a demanda necessita pq eles são minha prioridade absoluta como de qualquer mamãe.

    Queria apenas agradecer a sua opnião sincera em relação a uma escolha que sim, acontece! E ok, seguimos e somos muito felizes obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>